Translate

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Mentes fechadas

Desde ontem, muitas emoções têm estado presentes dentro de mim. Comecei com indignação, mas rapidamente a afastei, passou por mim a tristeza, a frustração, a impotência, a ansiedade, a angustia...agora, depois de muito pensar, de muito trabalho de auto-disciplina, tenho comigo a aceitação.

Tenho que aceitar, que fazemos parte de uma sociedade, assente em estruturas ocas de interesses económicos, onde os valores ancestrais de respeito pelos outros, a amizade, a solidariedade etc, cairam em desuso.

O artigo da Revista Visão, foi um ataque vergonhoso a uma forma de medicina fantástica, que ajuda milhões de pessoas em todo o mundo. Foi vergonhoso, porque foi escrito por leigos em ciência homeopática, foi vergonhoso, porque só apresenta uma versão do assunto, foi vergonhoso pela escrita pobre e pelas citações de cariz ofensivo.
A Homeopatia é a minha vida, é uma paixão que tem exigido de mim imensos sacríficios. Estudo Homeopatia quase compulsivamente há muitos anos, entrego-me totalmente aos meus pacientes, sacrifico tempo para a minha familia, sacrifico férias, fins de semana...tudo isto com uma única motivação, o sucesso clínico, ver os meus pacientes melhores.

Cheguei a um nível da minha prática clínica, que não tenho que perder tempo a tentar provar que a Homeopatia funciona. Os resultados estão à vista, não só sensasorialmente, como analiticamente.

Não é novidade para nenhum homeopata, que acima de determinada potência homeopática, não existem moléculas da substância original e que, quanto mais alta for a potência (com maior grau de diluição), mais profunda é a acção do medicamento. Não contesto que este príncipio contraria na totalidade, todas as leis da física e da quimica que se conhecem hoje em dia.

O que me deixa triste, é a limitação mental de muitos cientistas. Um cientista é alguém que se baseia na evidência, mas a evidência também se baseia em pressupostos, os pressupostos actuais de evidência. Para mim, os critérios de evidência aos quais a Homeopatia tem sido submetida, estão totalmente errados. A Homeopatia tem as suas regras específicas, que se não forem cumpridas, obviamente não vai funcionar.

Fazer estudos clínicos com Homeopatia, estrapolando metodologias utilizadas na medicina convêncional é um erro. Não tem rigor científico e é a explicação para os constantes resultados que têm vindo a público. Não contesto os resultados, considero até que publicações como o "Lancet" são altamente credíveis, o que tenho que constestar são as metodologias utilizadas nesses estudos.

Os estudos homeopáticos são baseados no seguinte pressuposto: vamos provar que a Homeopatia não funciona, ou que a Homeopatia é efeito placebo. Estes estudos são feitos por pessoas com créditos provados nas suas áreas, mas que não dominam os princípios homeopáticos.

Os estudos com Homeopatia têm que ser feitos segundo os métodos homeopáticos, temos que adaptar os pressupostos da evidência, à especificidade da Homeopatia, não podemos querer ter resultados homeopáticos, quando os medicamentos são utilizados segundo a visão da medicina convencional.

Tenho defendido a criação de grupos de cientistas, sobretudo no meio universitário, pela curiosidade e por não estarem tão facilmente sujeitos à pressão de interesses, que seguissem o seguinte princípio: sabemos empiricamente que a Homeopatia funciona, sabemos que trata milhões de pessoas em todo o mundo, vamos saber porquê!! vamos investigar, que mecanismos as ultra-diluições accionam no corpo para levar à cura.

A Homeopatia trata os sintomas da doença, com substâncias que provocam num ser saudável, os mesmos sintomas que o doente apresenta. Acredito incondicionalmente, que se a investigação for no sentido de compreendermos os mecanismos de acção do medicamento homeopático, teremos muitas e importantes respostas, sobre a forma como a doença se manifesta no corpo, isto é, ao sabermos como a "doença" do medicamento se comporta no organismo, saberemos como a doeça propriamente dita se manifesta no corpo.

A Homeopatia tem já duzentos anos, são duzentos anos de experiência clínica de grandes médicos por esse mundo fora, que não podem ser despresados. Grandes cientistas, trabalharam grande parte da sua vida em pról da medicina homeopática. Deixaram-nos um legado médico precioso na ajuda aos que precisam. A Homeopatia, não é uma panaceia, requer uma vida inteira de estudo e dedicação, muitos dos actuais detractores não fazem a mais pequena ideia do que é estudar uma Matéria Médica Homeopática.

Quero dizer com isto, que o conhecimento científico da humanidade não está fechado. Se queremos verdadeiramente evoluir no conhecimento, temos que estar abertos, temos que questionar, pela positiva e não pelo derrotismo. O verdadeiro cientista não tem verdades absolutas, quem as tem, não evolui e, vive de arrogância e pequenez.

Considero-me um homeopata de sucesso, trato todos os que me procuram de um modo responsável e respeitando os limites da Homeopatia. Afirmo determinantemente que a medicina convencional é insubstituível. Todos os dias, milhares de médicos fantásticos fazem milagres por esses hospitais. Tenho imensos amigos médicos que respeito acima de tudo, pelo trabalho que fazem. A Homeopatia é um complemento precioso à abordagem médica, é em muitos casos, uma extenção da medicina. Trabalho frequentemente com pacientes que me são recomendados por médicos, com um sucesso clínico muito acima do esperado com medicina convencional apenas. Quem ganha com este intercambio de experiências? O doente, que deve ser sempre o nosso foco.

Guerras de interesses, só estão ao alcançe dos que não estão focalizados no tratamento dos doentes. Essa não é a minha conduta e por isso não quero entrar nelas.

A Homeopatia é uma pérola, a sua eficácia clínica é surpreendente nos adultos, nos bebés, nos animais, nas plantas, etc. Quem não quer recorrer, está no seu direito, mas deve respeitar o livre arbitrio de quem quer e, de quem confia neste extraordinário tratamento. Em vez de perdermos tempo com patetices, deveriamos unir sinergias para ajudar os doentes.

Como em todas as profissões, há bons e maus profissionais. Se há casos de negligência médica em consultas de Homeopatia, também as há nas consultas de medicina convencional. Tenho defendido, serem criados cursos credíveis, com formação sólida em todas as vertentes da saúde humana com o objectivo de formar profissionais homeopatas com capacidade para avaliar o doente e saber aplicar o método homeopático dentro dos seus limites. Esta, para mim, é uma questão fundamental, saber quando o caso não é passível de tratamento homeopático.

Este artigo da revista Visão, foi muito importante para se falar mais desta extraordinária forma de tratamento. Nós, que amamos a Homeopatia e que nada temos a temer, só podemos agradecer a exposição pública que está a ter. Eu vejo sempre as coisas pelo lado positivo, não quero alimentar qualquer sentimento negativo, embora fosse fácil, dada a má qualidade do artigo. Confesso, que depois de todos estes anos de esforço e de estudo, de ter estado com alguns dos melhores homeopatas do mundo em vários países, entristeceu-me a expressão "homeopatetice" proferida por uma professora de química do Instituto Superior Técnico. Esperava mais abertura, das pessoas que ensinam os futuros cientistas do nosso país. Espero que nunca venha a precisar da "homeopatetice" quando a "quimico-espertice", por alguma razão, não resultar.

Só me resta deixar uma palavra de agradecimento, a todos aqueles que têm confiado no meu trabalho e na Homeopatia. É por todos eles, que tenho trabalhado e com eles tenho evoluido. Apesar de todas as forças contrárias, o esforço tem valido a pena.


Nuno Oliveira

14 comentários:

Andreia disse...

Obrigada Dr. Nuno pelas palavras que acabou de deixar... Eu também fiquei revoltadissíma com a reportagem da VISÃO. Eu adoro a homeopatia, recomendo a homeopatia e desde o momento que o meu filho descobriu a homeopatia tornou-se um menino mais saudável, forte e resistente. Sou fã. Obrigada por tudo. Obrigada por ser a pessoa disponivel que é. Obrigada por dar sempre o seu melhor em tudo quanto faz. Foi um prazer conhecê-lo e tê-lo como médico da nossa família. Um beijinho!

Pedro Homero disse...

Nuno Oliveira:
Vê-se que é uma pessoa apaixonada pelo que faz. Parece ser uma pessoa genuinamente interessada em ajudar os seus clientes. Não me espanta, pois creio que muitos, senão mesmo a maioria dos homeopatas são assim.

Por outro lado, vejo também que parece ter uma crença quase religiosa (não digo isto necessariamente como algo negativo) na homeopatia, isto é, parece ver nesta modalidade uma capacidade quase milagrosa. Corriga-me se estiver errado.

Vejo vários pontos a criticar na sua argumentação, mas vejo também que parece ser uma pessoa genuinamente interessada em estudar a homeopatia e chegar a uma conclusão definitiva. Estou certo?

Gostaria de poder encetar um diálogo franco, educado e tranquilo consigo relativamente a este tema. Que me diz?

Pedro Homero
1023portugal.wordpress.com

P.S. - Também não gosto do termo homeopatetice que a Palmira usa. Está no seu direito, claro, mas é um pouco ad hominem.

Anónimo disse...

Sei que o meu comentário não será publicado e será censurado unicamente por ser um céptico em relação à homeopatia, mas como você mesmo afirmou não existe de facto provas cintificas a favor deste metodo terapeutico e como tal tem naturalmente de existir muitas duvidas acerca da sua aplicação prática e da sua utilidade. Obviamente os homeopatas tem todo interresse em provar o seu metodo como válido, no entanto as suas tentativas tem sido infrutiferas sucessivamente, permanecendo um mistério como realmente actuam os medicamentos homeopaticos. Efeito placebo ou não, é uma duvida que permanece. Agora escrevo este comentário, somente para você ler, pois acho que as opinões desde que construtivas são sempre positivas mesmo que estas não sejam favoráveis á nossa teoria. Porque só ter opiniões a bajular a homeoterapia, não é correcto tal como também é errado fazer o oposto que é só destruir a reputação da homeopatia tal como a revista Visão o fez. Cumprimentos

Pedro Homero disse...

Ok, Nuno, então para começar, podia dizer-me, resumidamente, como decorre uma consulta sua?
Vamos imaginar que vou ao seu local de trabalho pela primeira vez. Que aconteceria? Como seria a consulta?

Obrigado, desde já!

Célia Mineiro disse...

Sou médica alopata e muito interessada em homeopatia e, embora não tenha conhecimentos para prescrever (ainda não consegui estudar a Matéria Médica),já estudei e apreendi os fundamentos ditados por Samuel Hahnemann.Também sou leitora assídua dos textos de homeopatas actuais e reconhecidos mundialmente,portanto a minha valorização da homeopatia tem bases sólidas. Tenho pacientes que seguem também tratamentos homeopáticos e vejo os resultados. Concordo plenamente quando dizes que o artigo da Visão serviu para se falar desta outra forma de tratar; pode despertar novos interessados, (precisamos de mais bons homeopatas), bem como outras pessoas que poderão se beneficiar desta práctica. Também sonho com o dia em que todos os profissionais de saúde se unam com um objectivo comum: o bem-estar dos nossos pacientes. Nada é por acaso..

Ana F C Neto disse...

Isto infelizmente já não é o primeiro assalto que fazem à homeopatia e, se realmente o fizeram, sabemos todos que é porque se sentem de alguma forma ameaçados.

A homeopatia funciona sim, milhões de pessoas o podem confirmar. No entanto, há sempre quem necessite de confirmação científica, coisa que já foi tentado levado a cabo mesmo em termos de física quântica que, caros amigos, já foi provado realmente existir alguma espécie de energia só que, infelizmente para todos, ou felizmente, ainda não foi possível quantificar essa mesma energia.
Cientistas mesmo dizem, que as máquinas ainda não possuem alcance tecnológico para se poder fazer essa medição.

Agora, as pessoas acreditam naquilo que quiserem mas, a verdade é que a Homeopatia quando correctamente administrada por um profissional competente faz milagres!
O problema, como em todas as coisas, é haver pessoas incompetentes que não sabem o que andam a fazer e acabam por prejudicar terceiros. Pessoas inocentes que precisam de ajuda.

Por isso o que nos resta, como o Dr. Nuno refere, é que haja educação em relação a esta forma de cura e que novos profissionais de saúde sejam educados e ensinados a exercer Homeopatia, conhecendo os seus limites pessoais, para que assim, casos de negligência médica sejam evitados.

Pedro Homero disse...

Célia, sabe que o termo alopata é degradante, pois não só é um insulto à sua profissão como está incorrecto na descrição que faz da sua prática?

Não estudou, no seu curso de medicina, que existe uma relação quantidade-efeito, e que a partir de determinada diluição já não existe uma só molécula do que se dilui?

Não aprendeu, no seu curso de medicina, que podemos facilmente ser enganados pelos nossos anseios, desejos, frustrações, esperanças, e ver em X capacidades que lá não existem? (X = homeopatia, neste caso)

Não ficou a saber que as práticas que usa no seu trabalho como médica e os medicamentos que prescreve passaram por um rigoroso processo para determinar a sua eficácia, ao contrário dos produtos homeopáticos, que não têm que demonstrar a sua validade?

Tem provas inequívocas que a homeopatia funciona para lá do efeito placebo, ou tem apenas fé que funciona?

Nuno Oliveira disse...

Caro Pedro Homero,

Fiquei surpreendido com esta sua pergunta, sobre como decorre uma consulta de Homeopatia.
Qualquer homeopata, que pratique Homeopatia clássica ao mais alto nível, segue a metodologia de anamnese homeopática que o Dr. Hahnemann concebeu no livro base de Homeopatia, o ORGANON.

O Pedro, como um dos rostos mais activos da campanha anti-Homeopatia, devia conhecer todos esses passos de anamnese homeopática. Se não conhece a metodologia homeopática é porque não leu o ORGANON, se não leu o ORGANON, não conhece a filosofia homeopática, se não conhece a filosofia homeopática devia abster-se de tecer comentários sobre uma matéria que não domina.

Apesar de respeitar profundamente a opinião de qualquer colega homeopata, médico, e de qualquer outra pessoa, penso que só quem é especialista em determinada área tem total capacidade de expressar uma opinião tecnicamente fundamentada sobre assuntos relativos à mesma.

Para opinarmos sobre a abrangência e eficácia de uma determinada técnica terapêutica, são precisos muitos anos de prática e experiência clínica, utilizando-a.
Posto isto, recomendo-lhe vivamente ler a obra fundamental da Homeopatia, pois encontrará todas as respostas às suas dúvidas. É uma obra fascinante.
Boa leitura:)

Pedro Homero disse...

Expliquei-me mal:
Gostava que descrevesse uma consulta sua para, a partir daí, podermos chegar a um método simples e directo para testar a validade e eficácia da sua prática. Assim sendo, repito, pode ter a amabilidade de o fazer?

Anónimo disse...

Em relação ao artigo da Visão que considerei muito faccioso, não consegui perceber o porquê de tanta preocupação em querer provar cientificamente que a homeopatia funciona, quando há milhares de pessoas a terem RESULTADOS bem visíveis.
Há coisas que não se explicam, sentem-se.
E se há pessoas que fazem mau uso / prática da homeopatia, também o há nos "outros tipos de medicina".

Sofia Costa Martins

Pedro Homero disse...

Gostava de responder à Sofia Costa Martins, mas vendo que a minha resposta à Célia Mineiro não foi ainda aprovada, mesmo sendo anterior à minha última mensagem aprovada, talvez caia em saco roto...

Nuno Oliveira disse...

Pedro,

Com todo o respeito, não lhe reconheço nenhuma autoridade para avaliar a validade e eficácia da minha prática. Não o faço a si nem a ninguém. O único dever que tenho, é para com os meus pacientes, que respeito acima de tudo.

Já me pronunciei sobre o artigo da Visão e não tenho mais nada a dizer. Quero afirmar agora, categoricamente, que não vou alimentar nenhum diálogo consigo sobre este assunto. O respeito pela opinião e pelo livre arbítrio faz parte da minha conduta. A minha posição está clara e a sua também, por isso não há mais nada a dizer.

Passe bem...

Inês Cunha disse...

Isto é tudo muito estranho! Porquê tanta raiva????
O Sr. Pedro Homero tem medo de quê?
A Homeopatia já lhe fez mal ou a alguém da sua família?
E depois, eu que sou uma simples utilizadora de homeopatia e nem sou paciente do Dr. Nuno, até eu sei que a palhaçada que fizeram outro dia para a televisão, não ia dar em nada, não podia e desculpe Sr. Homero vocês sabiam que da maneira que estavam a fazer não ia acontecer nada ou então (talvez seja isso) não sabem mesmo o que é a homeopatia.
Estamos num país livre, porque não podemos escolher como queremos ser tratados?
E depois as pessoas não vão em palhaçadas e desculpe que lhe diga, mas pareciam mesmo uns palhacitos, animadores de Rua saídos de uma escola de Teatro.
Dr. Nuno, não sei se vai publicar este comentário, mas eu tinha de dizer qualquer coisa e não sabia onde!
Inês Cunha

Madalena Albuquerque disse...

Obrigada por existir e por ser como é. Sou uma mãe mais segura e mais calma desde que descobri, não só a homeopatia, mas sobretudo o Dr. Nuno Oliveira. Muito, muito obrigada por tudo!