Translate

domingo, 5 de dezembro de 2010

Solidão

"Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear
ou fazer sexo... isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... isto é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida... isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma ..."

Francisco Buarque de Holanda

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Clínica social

Há muito que venho sentindo o apelo, de fazer chegar o que faço, a pessoas, que por razões económicas graves, não podem recorrer aos excepcionais benefícios da medicina homeopática.

Não me parece justo, que uma mãe não consiga tratar homeopáticamente uma criança, por não ter condições económicas para o fazer. Ao longo da minha prática clínica, têm sido dezenas, as pessoas que sei que não podem pagar uma consulta e que não cobro. Por vezes, não pensamos, na quantidade de pessoas que com salários baixos, tentam sobreviver, para que nada falte aos seus filhos. Para essas pessoas, pagar uma consulta privada, é um sacrifício que não podem comportar.

Mas será que por isso, as crianças não podem receber tratamentos homeopáticos? Será que a Homeopatia, é uma medicina exclusivamente, para pessoas com recursos económicos?

Podem chamar-me idealista, mas como idealista não é um nome feio, podem chamar à vontade… O que é certo, é que ainda não desisti de acreditar que podemos chegar a mais pessoas.

O centro Homeopático da Linha, vai contribuir com uma gota num oceano infindável de necessidades, mas se todos pensarmos que não fazemos diferença, o mundo não avança.

A partir de Dezembro, vamos ter um dia por mês para atendimento gratuito a crianças, cujos pais tenham rendimentos baixos. Vamos começar apenas com pediatria, mas em breve, abriremos a clínica social a adultos.

O recurso à clínica social do centro homeopático da linha, exige comprovativo, de que a criança pertence ao escalão A da acção social escolar, ou ao escalão 1 do abono de família.

Todas as informações sobre este serviço e marcação de consultas, através do número 21 099 84 56.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Proibição de plantas medicinais


http://www.youtube.com/watch?v=OzzFzEJMvGg

Em Abril de 2011 entrará em vigor, uma directiva que declara as plantas medicinais como ilegais.
A sabedoria milenar, os legados geracionais e a livre escolha individual, vão ser dramáticamente esquecidos com esta directiva.
Cabe-nos a nós, pelo menos tentar, que os interesses económicos das grandes farmacêuticas e de alguns sectores da classe médica (felizmente muitos médicos estão contra), não se sobreponham à vontade de milhares de pessoas em toda a Europa.
Assinem, por favor, a petição, são 30 segundos que fazem toda a diferença para milhares de pessoas.
Obrigado

http://www.gopetition.com/petition/39757/sign.html#s

domingo, 14 de novembro de 2010

A Homeopatia em primeira linha


O Dr. Greg Meyer é médico homeopata. Descobri-o recentemente e, fiquei muito impressionado com o seu trabalho com Homeopatia, junto dos que mais precisam. Ele trabalha com os homeopatas sem fronteiras no Haiti.
É motivante vermos como a Homeopatia, pode estar na primeira linha em situações de catástrofe. É nisto que eu acredito, medicina integrativa, complementariedade entre especialidades.
O Dr. Greg é um exemplo entre muitos, que por esse mundo fora, fazem chegar a Homeopatia a milhares de pessoas que dela precisam, anonimamente.
Este é o seu blog, vale a pena passarem por lá. Par a além de tudo, ele é também, um excelente fotógrafo.

Thanks Greg for sharing.
Keep going...



sábado, 4 de setembro de 2010

Nova etapa

Sinto que esta semana que passou, foi particularmente rica em mudanças. É interessante observarmos, como em tão poucos dias, tudo muda na nossa vida.
A meio da semana, um sentimento de frustração invadiu o meu ser mais profundo. Deparei-me com o verdadeiro estado da Homeopatia em Portugal. Tenho estado demasiadamente envolvido, em ajudar os meus doentes e nem me tinha apercebido. São precisos alguns baldes de água fria, para nos acordarem para a realidade. Confesso, que este acordar foi penoso e difícil de ultrapassar, mas como costumo dizer, o Universo é sábio, e se soubermos observar, constatamos que uma porta se fecha, mas outras abrir-se-ão de imediato.

Decidi ir mais longe. Foi a dose de motivação que precisava. Vou dar início a um novo ciclo na minha actividade em pról da medicina homeopática. Sei que não estou sozinho, tenho amigos, tenho a vontade e o saber para o fazer e, sobretudo, tenho os melhores pacientes do mundo, porque acreditam em mim e na minha paixão pelo que faço.

Obrigado ao universo e a todos os que me têm apoiado, ao longo deste caminho.

terça-feira, 6 de julho de 2010

"O" Combate

Todos os dias aprendo com os meus pacientes, é uma honra, uma motivação fazer o que faço.

Quando assistimos, todos os dias, a combates pela vida a nossa própria vida fica cheia de sentido, olhamo-la de diferentes perspectivas.

Este é um desses momentos...deixo-vos este link para que sirva de inspiração, do querer, da vontade de vencer, da força interior, da determinação.

Só me resta pedir ao Universo, que me ilumine, para que esteja à altura de te conseguir ajudar Tiago...

Boa Sorte!

http://www.ipponforlife-tiagoalves.blogspot.com/

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Homeopatia no Haiti


Quando se trata de ajudar quem precisa, todas as "ferramentas" são preciosas, a Homeopatia é uma dessas preciosidades e esteve presente numa das maiores tragédias da história recente.

Vejam este vídeo, que testemunha o excelente trabalho feito por colegas homeopatas.

http://www.youtube.com/watch?v=nxSnEbB2u5M

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Índia


Escrevo este texto tendo como vista a grande cidade de Mumbai. Estou de partida, sinto um misto de emoções.

A Homeopatia trouxe-me a este destino e, proporcionou-me uma grande experiência e uma grande lição de vida.

Não consigo descrever todos os pormenores desta experiência. Os cheiros, os ruídos, a envolvência, as emoções…

Vi centenas de pacientes, amontoavam-se à porta da clínica para serem atendidos, vi a Homeopatia clássica ao seu mais alto nível a curar pessoas com patologias extremamente complexas. O ritmo na clínica, era inqualificável, víamos cerca de 40 doentes por dia, algo impensável no meu pacato dia- a- dia.

O meu amigo Dr. Farohk Master, um dos maiores nomes da Homeopatia clássica a nível mundial, foi incrível comigo, debatíamos casos, levou-me para trabalhar com ele no hospital alopático de Mumbai, mostrou-me a escola superior de Homeopatia, mostrou-me o hospital homeopático de Mumbai onde dão consultas homeopatas famosos como por exemplo Rajan Sankaran, nunca negou transmitir o vasto conhecimento que tem sobre medicamentos; muito obrigado Dr. Master.

Aprendi muito tecnicamente, valeu a pena passar pela Índia. No entanto, os maiores ensinamentos desta aventura foram-me dados por três pessoas que se cruzaram comigo.

Pranali, Prachi e Rupesh. Eu estava sozinho em Mumbai, sábado só trabalhámos até às 13:00. Estes meus novos amigos convidaram-me para almoçar em casa deles. São pessoas muito humildes mas ao mesmo tempo muito ricas. Chegámos a casa deles e deparei-me com algo que em Portugal chamaríamos “barraca”. A certa altura, começou a minha grande lição, estavam todos sentados no chão (nem espaço havia para uma mesa) e eu estava sentado numa espécie de cama, com um tabuleiro cheio de comida, fantasticamente preparada pela mãe deles, especialmente para mim. A energia que se gerou naquele local foi indescritível, sentia o prazer que estavam a ter em me dar o pouco que tinham, surpreendente.

Passaram a tarde comigo, passeamos por Mumbai, mostraram-me vários locais e nunca me deixaram pagar nada, compravam-me água, pagavam os táxis, pagaram o comboio, enfim…

Acabamos o dia num templo. Foi muito especial e intenso vê-los a adorarem o seu Deus, que grande experiência esta…no fim, o meu amigo Rupesh, comprou-me uma espécie de colar e colocou-me no pescoço. Não o vou tirar até que se parta.

Chegou a altura das despedidas, Pranali e Prachi ficavam e, Rupesh ia levar-me de comboio até ao Hotel. Pranali perguntou-me se tinha gostado, eu respondi, um pouco emocionado, que estava sem palavras. Ela abriu a carteira e, tirou uma imagem plastificada do seu Deus que guardava desde pequena e ofereceu-me para me dar sorte. Senti um aperto no coração e na garganta, confesso que fiquei desestruturado emocionalmente naquele momento, que grande lição de vida e, que grande demonstração de ostentação de riqueza estes meus amigos me proporcionaram.

Vou voltar a Portugal mais rico…

Antes de deixar Mumbai, tenho que agradecer profundamente ao Dr. Farohk Master, Pranali, Prachi, Rupesh e ao Universo pela experiência que me proporcionaram.

Muito Obrigado!

Nuno Oliveira