Translate

sábado, 14 de junho de 2008

Medicamentos para...

Como já escrevi anteriormente, a intenção deste blog é dar a conhecer algumas das minhas ideias sobre esta grandiosa arte de curar que é a Homeopatia. Alguns dos meus pontos de vista, podem parecer um tanto ou quanto radicais, ou fora do que está protocolado nas esferas da comunidade homeopática. No entanto, estas ideias fazem parte de mim, fluem com tanta naturalidade que as assumo como verdades absolutas. A Homeopatia não pode ser praticada apenas com base no conhecimento científico, na racionalidade, tem que se sentir, temos que deixar fluir a energia. A Homeopatia é energia, o ser humano é energia, a vida é energia...A tecnologia permite-nos ter meios poderosos para auxiliar a medicina. A pergunta que se impõe é: como é possivel a humanidade estar tão doente com todo o “arsenal” de terapias e meios auxiliares de diagnóstico, como TAC, ressonância magnética, ecografias, etc. Cada vez vemos mais pessoas doentes, com problemas mais sérios, mas isto é um contrasenso tendo em conta os milhões gastos em investigação na área da saúde. Das duas uma, ou a doença é dotada de uma inteligência superior ao ser humano, o que a faz estar sempre um passo à frente da investigação, ou a investigação está a seguir um caminho errado. Obviamente que me inclino mais para a segunda hipótese. Na minha opinião, a investigação médica está a centrar-se no lado errado, ou seja na patologia em si mesma, na bio-quimica, na bactéria, no virus, etc. Estão agarrados ao acessório e não ao essencial. Para mim o essencial é a causa da doença. Nas minha consultas faço sempre a mesma pergunta a mim mesmo: “Nuno, porque é que este indivíduo está com esta patologia?” Ele está com uma amigdalite e já é recorrente, se fizermos a abordagem convencional, administramos um medicamento para combater a amigdalite e pronto, simples e práctico. No entanto, a causa que está na origem do problema não foi considerada e, obviamente, mantém-se activa. É claro que passado algum tempo o indivíduo está novamente doente. Isto é observado diáriamente em qualquer consulta médica.
Em Homeopatia também verifico o mesmo, as consultas são feitas com base em softwares avançados e os diagnósticos são feitos tendo em conta o sintoma; o doente queixa-se de tosse e lá vão na receita uma serie de medicamentos com afinidade com tosse, como se a causa da doença estivesse na tosse. Isto não é apenas uma crítica pela crítica em si mesma, é que esta práctica deixa-me profundamente desgostoso, por estar em severa contradição com os mais elementares princípios homeopáticos. Como a Homeopatia é a minha vida, só posso ficar triste e desapontado...
Em Homeopatia NÃO EXISTEM medicamentos para a patologia, existem sim, medicamentos para o Sr. Manuel, a Sra. Maria, o menino Ricardo, etc, para a totalidade dos sintomas, mentais, emocionais e fisicos. É um disparate indicar-se medicamentos para a febre, tosse, obstipação, dispepsia, artrite, cefaleias, etc, apesar de ser um erro inadmissível, é o que se vê em sites, blogs, livros...
Sou contra esta atitude! Em nome da boa práctica homeopática, nunca indicarei medicamentos homeopáticos associados a qualquer patologia neste blog, nem em qualquer outro sitio.
Não abdico desta ideia pela Homeopatia, pelos meus doentes, por aquilo que sinto e em que acredito e, fundamentalmente, pelos resultado clínicos que obtenho com esta práctica.

2 comentários:

Barbara disse...

olá Nuno,

Apreciei muito o que escreveu. Apesar de não conhecer verdadeiramente a Homeopatia, também eu acredito que muitas vezes (tipo, sempre), os médicos tratam os sintomas mas não as doenças ou a causa delas. Eu tenho recorrentemente problemas relacionados com bacterias e fungos na minha zona feminina, passei a vida em ginecologistas, e fui uma vez a um homeopata em Aveiro, no Centro Dietético Girassol, que me recomendou medicamentos dr.Reckeweg, mais qualquer coisa para o sistema imunitário.Tomei tudo conformne indicações. Infecções urinárias não tive mais, mas continuo a ter problemas nas paredes que antecedem o utero. Gostaria de saber se conhece o homeopata de que lhe falo e se tem algumas sugestões para me dar.

Grata pela atenção.
Bárbara

Nuno Oliveira disse...

Olá Barbara,

Aqui no blog tem o meu email. Envie-me um texto explicando-me o seu historial clínico. Tenho todo o gosto em tentar ajudá-la.
Obrigado pela sua participação,
Nuno Oliveira