Translate

domingo, 29 de junho de 2008

Agravamento homeopático

Muitos dos meus pacientes, após começarem o tratamento homeopático, experimentam o que chamamos agravamento homeopático. É comum telefonarem-me alguns dias depois, dizendo que não se sentem melhor e, até sentem mesmo, um agravamento dos sintomas que anteriormente apresentavam. A minha resposta é sempre a mesma : “óptimo, bom sinal...”
Não sou insensível, nem tenho um particular apresso por ver os meus doentes a sentirem-se pior, mas o agravamento homeopático é sem dúvida, um excelente sinal de que foi administrado o medicamento correcto (similimum), e que o doente entrou no processo de cura.
Estes agravamentos são transitórios e geralmente de curta duração. Após o agravamento, o doente sentirá melhoras muito significativas no seu estado de saúde.
Esta situação acontece, porque foi administrado ao doente, um medicamento que está em perfeita afinidade com ele, ou seja, está em perfeita harmonia com todas as queixas do doente, sejam elas mentais, emocionais ou físicas. Por outras palavras, foi dado ao doente um medicamento que provoca numa pessoa saudável, exactamente os mesmos sintomas que o doente apresenta.
Sendo assim, espera-se e sobretudo deseja-se, que o doente sinta uma exacerbação dos sintomas no início do tratamento. Isto revela que o homeopata teve sucesso no diagnóstico e, que o doente, está a iniciar o processo de cura da doença.
O agravamento homeopático é mais comum acontecer nos casos crónicos do que nos casos agudos e, quando surge, é um sinal de alento tanto para o homeopata, que percebe assim que escolheu o medicamento correcto, como para o doente que beneficiará de toda a eficácia do tratamento homeopático.
Neste sentido, desconfio da eficácia do tratamento homeopático prolongado sem qualquer agravamento; na minha perspectiva, significa que não estamos a induzir no organismo do doente o processo de cura. Tenho verificado esta situação, em doentes que surgem na minha consulta após anos de tratamento pseudo homeopático, com muitos medicamentos, mas com poucos resultados visíveis. A verdadeira Homeopatia é altamente eficaz, é radical, o doente sente melhoras efectivas num curto espaço de tempo. A ideia de que a Homeopatia é lenta a actuar é completamente errada e, é o reflexo, da má práctica homeopática.
O Professor George Vithoulkas, uma das maiores figuras mundiais em Homeopatia escreveu : “...por conseguinte, a práctica comum de alguns homeopatas, tentando suprimir os agravamentos, é, na verdade, um processo que não permite a cura. As atitudes e ensinamentos baseados na prescrição de medicamentos que provavelmente não produzam agravamentos vêm de pessoas com pouco conhecimento da ciência da Homeopatia”. **
Sendo assim, o agravamento homeopático não pode ser entendido como prejudicial, bem pelo contrário, ele deve ser encarado como o arranque para um tratamento homeopático eficaz e, por conseguinte, para uma vida mais saudável.

** In Homeopatia:ciência e cura – Prof. George Vithoulkas

1 comentário:

DiAleX disse...

"Quanto mais arde, mais cura" não é o que diz a sabedoria popular? hehehehe

Antes de ler este post, já tinha calculado que a cura se processasse desta forma. Segundo aquele princípio do "semelhante" era normal, e lógico, que ocorre-se um agravamento periódico dos sintomas.

Bom esclarecimento ;)